BAHIA


Novos hospitais e policlínicas regionais vão ampliar atendimento e levar serviços de saúde para 4 milhões de baianos


//A partir de novembro, o Governo do Estado deu início a uma série de inaugurações que marcaram a abertura de quatro novas policlínicas e dois novos hospitais na Bahia que serão referência para 4 milhões de baianos. A primeira policlínica foi entregue em Teixeira de Freitas, no dia 17 de novembro, para atender a Região do Extremo Sul. No dia 24, foi a vez da população de Guanambi e municípios do seu entorno receberem a nova unidade que vai ampliar e dinamizar o sistema de saúde. Já no mês de dezembro, serão inaugurados os hospitais de Seabra e Ilhéus, bem como as policlínicas de Irecê e Jequié.

As policlínicas fazem parte dos Consórcios Públicos de Saúde, iniciativa do Governo da Bahia para levar atendimento especializado e exames de alta complexidade ao interior, evitando, com isso, que os pacientes se desloquem para os grandes centros em busca desses serviços.

As obras e os equipamentos foram custeados com recursos financeiros do governo estadual, enquanto que a manutenção mensal será rateada da seguinte forma: 40% para o Estado e os 60% restantes divididos entre os municípios consorciados.

As novas unidades de saúde vão oferecer consultas em até 18 especialidades diferentes para cerca de 2 milhões de baianos, além de exames como ressonância magnética, tomografia computadorizada, ultrassonografia, ecocardiografia, eletroencefalograma, endoscopia e colonoscopia.

“A saúde é uma das áreas prioritárias da nossa gestão. A construção das policlínicas é um exemplo disso. Por atenderem não só um município, mas a toda uma região, terão enorme impacto na ampliação do atendimento e na qualidade do serviço prestado à população. O paciente não precisará se deslocar por grandes distâncias para buscar o tratamento que necessita”, afirmou o governador Rui Costa.

Por sua vez, o secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, acredita que “o projeto das policlínicas irá mudar a realidade da atenção de saúde na Bahia, garantindo maior resolutividade às unidades básicas”.

Exames e especialidades Diversos exames serão ofertados nas policlínicas regionais, com destaque para os seguintes: ressonância magnética, tomografia, mamografia, ultrassonografia com doppler, ecocardiografia, ergometria, mapa, holter, eletroencefalograma, eletromiografia, raio-x, eletrocardiograma, endoscopia, colonoscopia, nasolaringoscopia, colposcopia, histeroscopia e cistoscopia.

Também serão realizados procedimentos de vasectomia, cauterização, pequenas cirurgias e cuidados com o pé diabético, além de biopsias de mama, tireoide, próstata, dérmica, gastroenteral, dentre outras.

Os pacientes também terão acesso a uma variedade de especialidades médicas, a exemplo de angiologia, cardiologia, endocrinologia, gastroenterologia, neurologia, ortopedia, oftalmologia, otorrinolaringologia, ginecologia/obstetrícia, mastologia e urologia.

Ao longo do tempo, será possível ampliar ou substituir por outras especialidades, a depender do perfil epidemiológico da região.
As próximas policlínicas serão construídas nos municípios de Valença, Santo Antônio de Jesus, Feira de Santana, Alagoinhas, Simões Filho, Ribeira do Pombal, Brumado, Paulo Afonso, Juazeiro, Barreiras, Jacobina, Senhor do Bonfim, Itabuna, Vitória da Conquista e Salvador, sendo a capital baiana, a única com duas unidades.

Governo do Estado inaugura 285 novos leitos hospitalares

//Com a inauguração dos hospitais da Chapada, em Seabra, e Costa do Cacau, em Ilhéus, ambos em dezembro, o Governo da Bahia adiciona 285 novos leitos à rede estadual.

“Foram mais de 160 milhões investidos entre obras e equipamentos nas duas unidades”, afirma o secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, ao apontar as unidades que vão ofertar serviços de média e alta complexidade.

O Hospital do Cacau será referência para 67 municípios que abrigam uma população de 1,6 milhão de habitantes. “Nesta primeira etapa, a unidade terá 184 leitos, sendo 30 de Terapia Intensiva Adulto (UTI). Como diferenciais, o hospital oferta serviços de cirurgia cardíaca, cateterismo, neurocirurgia, bem como ortopedia de alta complexidade”, explica o secretário, ao destacar ainda que a unidade de saúde conta com um parque de bioimagem completo, incluindo ressonância magnética e tomógrafo. Na segunda etapa, mais 120 leitos serão entregues.

Já o hospital da Chapada terá 101 leitos, sendo 10 de UTI. A unidade será referência para 11 municípios, com atendimento de urgência e emergência 24 horas, centro de bioimagem e cirúrgico, além de ambulatório. O titular da pasta estadual da Saúde aponta um dos benefícios.

“Quem precisava de UTI na Chapada tinha que ir para Irecê, Feira de Santana ou Salvador. Agora, não vai precisar mais se deslocar”, diz Vilas-Boas.