São Paulo - SP


Prefeitura inicia em avenida da Zona Leste nova etapa do programa Asfalto Novo


//Ação irá beneficiar vias em todas as 32 Prefeituras Regionais da capital; pela primeira vez recursos arrecadados com multas são usados no asfalto
//A nova etapa do programa Asfalto Novo, iniciada pela prefeitura na semana passada, traz como grande novidade a qualidade superior do asfalto utilizado, que garante o dobro de durabilidade ao recapeamento feito nas ruas e avenidas de São Paulo. Numa exigência da licitação, o asfalto deve durar oito anos, ao contrário dos quatro exigidos anteriormente.
O programa Asfalto Novo vai investir R$ 350 milhões no recapeamento de mais de três milhões de metros quadrados de vias em todas as 32 Prefeituras Regionais da capital paulista.
Deste total, R$ 210 milhões são provenientes do Fundo de Multas, R$ 100 milhões do Tesouro Municipal e os outros R$ 40 milhões serão investidos pela SPTrans no recape de corredores de ônibus. Além disso, a Sabesp fará o recapeamento de 400 mil metros quadrados de vias. É a primeira vez que as multas são utilizadas para recapeamento de vias.
O controle da qualidade já começa na visita às usinas que fornecerão a matéria-prima. Além dos ensaios tecnológicos e laudos fornecidos pelas próprias empresas, a prefeitura também fará a verificação por meio de uma empresa independente que será contratada. Mas a durabilidade do asfalto também depende da adequação das guias e sarjetas, que devem estar em boas condições.
Para isso, as empresas responsáveis pelo recapeamento terão de fazer sua requalificação e conservação sempre que necessário.Segundo o prefeito João Doria, o nível de exigência junto aos fornecedores subiu. “Há um controle técnico determinado pela prefeitura. Você não pode ter um asfalto que depois de um ano é desfeito pela má qualidade”, concluiu.